Pai: Antonio Gomes Teixeira
Mãe: Maria Gomes Teixeira
Data de nascimento: 7/8/1928
Data de falecimento: 03/08/2005
Naturalidade: Indaiatuba-SP

Cursos:

– Certificado  de   Primeiro  Grau
– Diploma  de  Normalista
– Certificado de  Secretária  Escolar
– Habilitação  em  Orientação  Educacional e  Administração  Escolar
– Certificado  de  Montessori e  Congresso  de  Montessori
– Curso  de  Extensão  Universitário


Biografia:

Irmã Miriam de Jesus – (Leonor Gomes Teixeira)

Grande  Educadora especializada  no  Método  Educacional  Maria  Montessori,  exercendo  a  função  de  Professora  no  Colégio  Nossa  Sra.do  Calvário  na  década  de 1970, Coordenadora e Diretora

Também  na  década  de 70  foi  professora na  Faculdade de  Monte  Aprazível-SP,  ministrando  aulas  de  Filosofia e História  da Educação.

Em  1976  com  a  aquisição  da  Escola  Infantil  “Pequeno  Príncipe em São  José  do Rio  Preto,Ir.  Mirian  tornou-se  Diretora e  abriu  gradualmente  os  Curso  de  Ensino  Fundamental  e  Médio.

De  1976  até  1983, foi  secretária  da  Catequese  da  Região  Centro  de S.J.do  Rio Preto

Em  1982,  a  pedido  do  Sr. Prefeito  Municipal  de  S.J.do Rio Preto, foi Secretária do  Bem  Estar  Social .

Pertencia  ao  grupo  de  ex-Calvarianas,  e exerceu  a  função  de Secretária “AD HOC’ da  Congregação  no  ano  de l971

História

      Ir. Miriam era uma adolescente. Tinha apenas 14 anos de idade…Escolhida por Jesus, ouviu sua voz, convidando-a: “Vem e segue-me”. Ela ouviu a voz do Senhor e seguiu o anseio de seu coração. Veio bater à porta do Colégio Sagrado Coração de Jesus, em Campinas, afim de se preparar para, um dia, tornar-se religiosa Calvariana.

           Foi recebida como aspirante; fez seus estudos: Ginásio e Normal.

           Uma vez normalista, e, mantido seu ideal de Vida Religiosa, seguiu para o Noviciado Calvariano – Bosque da Saúde – são Paulo.

          Madre Ana Maria Bueno Neto, sua Mestra de Noviças, acompanhou-a na sua formação, durante 3 anos, ao final dos quais, Ir. Miriam fez sua Profissão Religiosa, realizando seu ideal de pertença total a Nosso Senhor.

          Jovem professa, veio para Colégio Coração de Jesus, em  Campinas, onde iria iniciar sua missão de religiosa educadora.

           Novinha e inexperiente, foi-lhe confiada a direção da Secretaria do Colégio.

           Ir.Raquel e eu fomos sempre suas amigas e, Irmãs mais velhas, a protegíamos e ajudávamos, quando o trabalho e a responsabilidade ultrapassavam suas forças.

          Ir.Miriam venceu este 1º desafio. Mais preparada para enfrentar o mar alto, foi transferida para o Rio Grande do Sul. Trabalhou no Colégio Madre Teresa, em Seberi e, depois, no Colégio de Restinga Seca.

          Corajosa e dedicada, além da sacretaria, assumiu aulas no ginásio, chegando a ministrar, por falta de professores, até aulas de desenho. Obediência e boa vontade fazem milagre!…muitas vezes!

          Fiel à vontade do Pai, Ir. Miriam deixou as terras gaúchas, para continuar, no Colegião de Catanduva, sua missão de educadora.

          Ir. Raquel, Ir.Zilah, Ir.Fátima, Ir.Coração de Maria e eu, suas amigas de todos os tempos, todas as Irmãs da comunidade nos alegramos com sua chegada.

          Fiel à sua missão de educadora, ao substituir a Ir.Ângela no Curso Infantil, se propôs atualizar o método tradicional usado até então. Escolheu o que estava mais em voga, na época: o método Maria Montessori. Para tanto, ela também precisava se atualizar. E lá se foram, ela e Ir.Maria das Graças, para São Paulo, em busca dos cursos oferecidos pela Madre Valentina, especialista Montessoriana.

          Adquiriram um material riquíssimo e o método passou a ser aplicado no jardim e nas primeiras séries do curso Primário.

          Pe.Xavier tinha vindo morar em Catanduva, assumindo a capelania do Colégio e a Diretoria da Faculdade. Foi então que se pôs em contato com Jean Piaget e, entusiasmado com suas pesquisas sobre o desenvolvimento da inteligência, se propôs criar um método pedagógico baseado naquelas descobertas. O método que se chama hoje “Método Piaget-Xavier” foi aplicado pela 1ª vez no Infantil do Colegião, dirigido pela Ir.Miriam.

          Além do seu trabalho de educadora, junto aos pequeninos do Curso Infantil, ela e Ir.Fátima dedicaram-se, de coração, a cuidar da educação das meninas do Orfanato “Ortega-Josué”, assistindo-as nos estudos, ministrando-lhes conhecimentos bíblicos, ensinando-lhes boas maneiras à mesa, na Escola e no relacionamento com as companheiras.

          Em Catanduva, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras que, durante seus primeiros anos, funcionou nas dependências do Colegião, foi onde Ir.Miriam realizou seus estudos superiores. Formou-se em Pedagogia, curso que a preparou para ministrar aulas na Faculdade de Monte Aprazível.

          Quando do doloroso e longo processo de separação da Congregação Calvariana, Ir.Miriam também optou pela Ressurreição. Juntas renovamos nossa consagração a Deus nas comunidades de Nossa Senhora da Ressurreição, no dia 29 de junho de 1971.

           A partir de então, passou a acalentar outro sonho: uma Escola Infantil, em São José do Rio Preto. Ir.Coração de Maria e ela empenharam-se em encontrar local em condição favorável. Para tanto, Ir. Miriam foi transferida para a comunidade de Rio Preto.

          Foi quando o Dr.Roberto Lopes de Souza, recém-eleito Prefeito de Rio Preto, convidou Ir.Miriam para assumir o cargo de Secretária Municipal de Promoção Social, dizendo: “Quero que Ir.Miriam funde quantas creches forem possíveis, para assistir e educar crianças carentes. Uma vez fundadas, elas se consolidarão e ninguém vai querer suprimi-las”.

          Fui falar com D. José de Aquino Pereira, nosso Superior Eclesiástico, para conhecer seu parecer e, ao mesmo tempo solicitar permissão para Ir.Miriam aceitar o cargo.

          Dom José me disse:

          “a Política nunca ajudou a Igreja em seu trabalho evangelizador, mas Dr. Roberto é bom cristão> Nada impede que a Congregação colabore com ele”.

          Ir.Miriam assumiu o cargo  e fundou várias creches, que ainda funcionam, assistindo e educando tantas crianças carentes.

“Escola Pequeno Príncipe”

 Ir.Miriam e Ir.Coração de Maria, continuaram à procura de condições para a fundação da Escola em São José do Rio Preto.

          Chegou afinal a oportunidade sonhada. Dra.Reny Volpato Bertazzo, nossa ex-aluna, no Coração de Jesus”, em Campinas e muito ligada a nós, tendo tido conhecimento de que as Diretoras da Escola Infantil “Pequeno Príncipe”, sediada no Jardim Seixas, Rio Preto, intencionavam negociar a passagem da Escola para a entidade  que se interessasse, apressou-se em informar as Irmãs.

          Ela mesma se encarregou de fazer as apresentações. Depois de tudo acertado, faltava-nos o principal; a quantia correspondente ao preço da escola.

          Mais uma vez, a Providência Divina veio em nosso socorro. Ir.Raquel, a generosa empreendedora das boas causas, deveria receber uma parte da herança que lhe adveria de seus pais, prontificou-se a fazer o pagamento. Só que o dinheiro ainda não estava em seu poder… Valeu-nos de novo a bondade do Sr. Célio de Monti, gerente do Banco Nacional, que nos emprestou a quantia estipulada  e compramos a Escola.

          Não demorou muito a Ir.Raquel recebeu sua parte na herança e pudemos saldar a dívida com o Banco.

          Se todo começo é difícil, desta vez não foi diferente. Além das adaptações, tínhamos de pagar o aluguel do Prédio, até que conseguíssemos prédio próprio.

           Valendo-se de seu prestígio junto à Prefeitura, Ir.Miriam conseguiu a doação do terreno, cujo uso é vinculado à permanência do Colégio, que funciona hoje, à Rua da Ressurreição, 135 – Vila Elvira – Rio Preto.

          Graças a Deus Nosso Senhor, a ajuda de Ir.Raquel, da Congregação, aos esforços e dedicação de Ir.Miriam , de Ir.Maria da Glória e de Ir.Mariluci, e, juntando-se a tudo isso, o empréstimo da “Nossa Caixa”, o Prédio do Pequeno Príncipe pode ser inaugurado.

          Tivemos a honra de contar com a presença do Dr.Paulo Maluf, governador de são Paulo, que autorizara o empréstimo. Uma placa de bronze, em homenagem e agradecimento a Dr. Paulo, sinalizou o acontecimento.

          Ir.Mariluce, auxiliada por Ir. Miriam e Ir.Maria da Glória, administrara todo o trabalho de construção do Prédio, bonito e funcional: salas amplas, laboratório, biblioteca, administração, teatro-auditório mobilhado, cantina, pátios amplos, quadra de esportes, uma beleza!

          Coube também a elas elaborar o processo de aprovação dos cursos do 1º e   2º grau, junto ao Ministério da Educação.

          Agora sim, Ir. Miriam realizara seu sonho!…

          Por vários anos, em companhia de Ir.Maria da Glória e Ir.Mariluci, ela teve a felicidade de conviver, no seu “grande” Pequeno Príncipe, com o alarido alegre da criançada, com os gritos desafinados dos adolescentes, com a meio-seriedade dos grandes do curso médio…tudo isso a fazia sentir-se realizada no desempenho da sua missão de Educadora da Ressurreição.

          Irmã Miriam semeava carinho, semeava amor fraterno e colhia amigos, conquistava o bem-querer de suas Irmãs.

          Durante alguns anos lecionou na Faculdade de Monte Aprazível. Uma vez por semana ia até lá, administrava suas aulas e voltava já tarde da noite.

          Ir.Coração de Maria que, mais tarde, seria sua companheira na busca de condições para a fundação do “Pequeno Príncipe”, ficava aguardando sua chegada. Servia-lhe a sopa conservada quentinha sobre o fogão à lenha e, depois, fraternalmente, a acompanhava pelos escuros e extensos corredores do Colegião, até a clausura onde ambas dormiam.

          Irmã Coração de Maria a precedeu na eternidade, mas, certamente, acolheu, com o mesmo carinho, sua chegada à Casa do Papai do Céu.

          Unidas na Terra, unidas no céu, que ambas nos protejam e rezem por nós.

Com a palavra a Irmã Fátima

          Ir. Miriam e eu sempre fomos grandes amigas!  Desde o tempo do Calvário, e depois, na Ressurreição, em Catanduva.

          Ao tempo em que a Faculdade Catanduvense funcionava no Colegião, cada noite, uma de nós fazia plantão na portaria.

           Era a vez de Ir.Miriam. Eu, já no meu quarto, tarde da noite, liguei para ela:

             Ir. Miriam, alô!

             Pronto! Quem fala?

             Ir.Miriam, por favor, Minhoca toma banho?

             Ah! Fátima!… Foi só risada. Toda vez que lembrávamos a brincadeira, ríamos de novo…

             Ela era muito alegre e divertida. Gostava de nos fazer rir:

             Gente, vou comer um “ovos quente”…imitando o Aguinaldo Rayol e as baianas do Sapucaí.

          Eu morava com ela, Ir.Maria da Glória e Ir.Teresa Cervato, em Rio Preto. Iria tomar o ônibus para Campinas às 5 horas da manhã e pedi a Ir.Teresa o favor de me acordar às 4 horas.

          Às 4 horas, em ponto, Ir.Teresa desce a escada e se surpreende, aos nos ver de pé:

            Nossa! Fátima, já se levantou?

          Ir.Miriam e eu nem tínhamos ido nos deitar e nem nos demos conta…Ficamos conversando a noite interia…

          Ir.Teresa riu conosco e voltou a se deitar.

….Passaram-se os anos…

           Uma das vezes, em que estive em Rio Preto para “controle do câncer, ao me despedir da Ir.Maria da Glória, da Ir.Miriam e Ir.Mariluci, emocionada e agradecida, eu lhes disse:

          Os anos que me restam para viver, não dão para agradecer tudo que vocês fizeram por mim, até hoje, antes da cirurgia, durante e depois…As flores, que coloquei na Capela, lhes dirão um pouquinho de minha gratidão”.

          Comovida, já doente, Ir.Miriam juntou suas mãos trêmulas sobre a mesa de jantar e pediu:

         Fátima, que bonito! Repete, por favor.

          E eu, mais do que emocionada, repeti meu agradecimento!

          Certa vez retornei a Rio Preto, com uma tosse terrível, seqüela da radio-terapia. Pensando que o câncer tivesse atingido o pulmão, falei às Irmãs do meu receio.

           Ir.Miriam contou-me depois que se voltou para Deus:

            Ah!, Senhor, a Fátima não!!!

           E Nosso Senhor a ouviu:

           Era só tosse mesmo.

                                        Graças a Deus!!!

          Eu continuo a testemunhar-lhes minha gratidão.

          Por ocasião de meus retornos a Rio Preto, eu digo sempre à comunidade, ao me despedir:

          “Na missão que realizo em, Campinas, a comunidade de Rio Preto a realiza comigo. Vocês me ajudaram a recuperar a saúde e a viver feliz, fazendo muita gente feliz!!!”

          Ir.Miriam mudou-se para a Casa do Pai, mas sua presença continua viva entre nós:

                                   Amigos, para ela, era pra valer!

                                   Que saudades!…

                                    Com imenso carinho,

                                          Ir.Fátima.

          Verdade, Fátima, para ela, amigos era pra valer.

          Ela, como Roberto Carlos, queria ter “um milhão de amigos”… E ela os teve, numerosos, nos diversos lugares por onde passou: Indaiatuba,Campinas, Seberi e Restinga Seca (RS), Catanduva, São José do Rio Preto

           Ir.Miriam dirigiu o seu “Pequeno Príncipe”, por vários anos, rezando sempre Ação de Graças a Deus Nosso Senhor, que lhe concedeu a alegria de realizar seus sonhos, – até sua partida definitiva, para a casa do Pai. Partiu serenamente, como viveu… quase sem dores e sem agonia. Fechou os olhos… e partiu, tranqüila e confiante!

           Nós, seus amigos e amigas, em grande número, rezamos com ela, na missa de despedida, celebrada por D.Celso, nosso Bispo Diocesano, concelebrada pelo nosso fundador, Padre Xavier, SJR, a quem ela devia muita gratidão, sempre admirou e estimava muito!

          Pe.Xavier veio, em companhia do, agora, Pe.Edgar, SJR, despedir-se e rezar conosco, por sua filha, amiga e “secretária” que, com carinho e dedicação, datilografou os originais de seu 1º livro: “As Profundezas do Homem”.

          A eles, Dom Celso, Pe.Xavier, Pe.Edgar e a todos os nossos amigos e amigas, nossos agradecimentos. Unidas a ela, nosso Deus lhes pague!!!


Ir.Miriam -Ir.Leonor – Ir.Mirinha – Mirinha (para nós)

         Grande companheira de caminhada, buscando Ressurreição!

        Sempre presente, com seu jeitinho simples, tão frágil e tão corajosa, decidida e confiante, de mãos dadas com suas Irmãs de ideal:

                     – na labuta de cada dia;

                     – na persistência confiante em busca da realização de seus sonhos;

                     – na conquista de sua santificação, através da oração, do trabalho, da convivência amiga com seus colaboradores, da comunhão fraterna, na fidelidade à sua missão de educadora.

          Obrigada, Mirinha, pela caminhada que, unidas fizemos com você! Seja sempre presença amiga para cada uma de nós!… até que nos reunamos todas na casa do Papai do Céu.

                                         Assim seja!

 Irmã Maria Teresinha da Freiria – R.R.

Related Works

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 6 =