Ir_Terezinha-MauroPai: Francisco Mauro
Mãe: Lucilia Mauro
Data de nascimento: 28/8/1934
Naturalidade: São Paulo (SP)
Cursos:

  • 1957: certificado de registro de professor do Ensino Normal- Fundamental e Secundário. Foi meu 1º certificado de Ensino Secundário- S. Paulo. Era postulante e lecionei na Escola Padre Bonnhone no bairro Saúde, onde as Irmãs Calvarianas tinham seu noviciado.
  •  1965: término da Faculdade de Pedagogia- Licenciatura plena- PUC de Campinas
  • 1975: habilitação em Orientação Vocacional- Fafica
  •  1976: habilitação em Administração Escolar- 1º e 2º graus
  •  1979: habilitação em Supervisão Escolar- 1º e 2º graus- Fafica
  •  1968-1970: fundei a Escola Normal de Seberi_ Rio Grande do Sul, lecionando várias disciplinas
  •  1969-1970: lecionei na unidade do Ensino Superior do Alto Uruguai, em Frederico Westfalen- R.S.; e fui diretora do Ensino Médio da Escola Madre Tereza de Seberi-R.S.
  •  1971-1985: lecionei várias disciplinas na Fafica- Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Catanduva- S.P.
  •  1975-1985: fui diretora do Colégio N.Sra do Calvário e professora de várias disciplinas (Sociologia, Filosofia, EMC, OSPB, Ensino Religioso)
  •  1991-1995: fui professora na Associação de Ensino Superior de Jales e na Escola Estadual Dom Arthur Horstuis- Jales- S.P.

 

Biografia:

História da Minha Vocação

Irmã Therezinha Mauro, nascida a 28 de agosto de 1934; pai Francisco Mauro e sua mãe Lucília Mauro. Nasci no bairro Itaim Bibi em São Paulo,capital. Freqüentei o jardim da infância dos 4 aos 6 anos, no bairro onde morava. Em 1940 mudamos para o centro de São Paulo, á rua Nestor Pestana,147.

     Com 7 anos comecei a freqüentar o Curso Primário no Grupo Escolar “Pe.  Anchieta” nos altos da rua Consolação.Fiz ai até a 4ª série.

       De pais católicos mas não praticantes, não recebi muita instrução religiosa na minha infância. Minha avó materna é que se encarregou disso, muito mais pelo exemplo e prática, do que por teoria. Freqüentar a missa, rezar o terço, bem como outras devoções, procissões, etc, foi ela que me introduziu. Era do Apostolado da Oração, e eu era sua companheira de rezas. Meus pais, apesar de sua fé simples, me colocaram mais tarde na catequese de 1ª Eucaristia e Crisma, na Paróquia N. Sra da Consolação, perto de casa.

 16/05/45 – Minha mãe faleceu quando eu tinha 10 anos. Eu era a mais velha e cuidei por dois anos da casa, dos meus dois irmãos, e do meu pai, que ia trabalhar no Palácio do Governo, e precisa ter o almoço pronto as 10h e o uniforme limpo e passado, bem como os sapatos brilhando…era militar.

Depois contratou uma empregada que não durou muito. Em seguida veio uma tia, casada com o irmão de meu pai, que ficara viúva. Morou dois anos conosco. Foram anos de sofrimento, ela tinha duas filhas, minhas primas, para as quais fazia muita diferença. Tomou posse da casa e de tudo e nós ficamos sendo suas empregadas sem direito a nada. A cada dia esperávamos o pai para contar-lhe os maus tratos e depois apanhávamos dela por isso.

Essa tia foi colocada para fora, depois de dois anos, por ordem do Juizado de Menores(denúncia da Wilma).

Meu pai casou-se depois com a minha madrasta, continuando nossa vida mais ou menos como antes. Eles tiveram mais quatro filhos: Ana Maria, Sônia Regina, José Carlos e George Luiz.

 1948-1949- Com meu tio materno fui em busca de emprego em Itapira, onde vivia sua noiva. Morei uns tempos com ela, procurei conhecer as Irmãs de N. Sra do Calvário que tomavam conta da Santa Casa de Misericórdia.

Lá, conheci a Irmã Angélica Maria que me recebeu como atendente no hospital, na vaga da titular que fora operada. Trabalhei alguns meses, depois fui chamada para trabalhar na enfermagem, onde passei a morar com as Irmãs.

O que mais me atraiu foi a bondade e a santidade da Ir. Angélica e o acolhimento das outras Irmãs. Fui aprendendo a profissão de enfermeira e as coisas da vida religiosa.

Tinha então 15 anos. Irmã Angélica foi me “catequisando”, abrindo o horizonte para as coisas de Deus. Participava das missas, celebrações litúrgicas do mês de maio, festas dos santos padroeiros da cidade, retiros das irmãs e suas orações diárias.

Irmã Angélica, no meio do ano perguntou se eu queria ser uma religiosa, no momento disse que não sabia. Depois fiquei pensando muito e escrevi para meu pai, dizendo da minha decisão.Ele não gostou e falou para eu voltar para casa.

Continuei com as Irmãs e meu pai ficou cinco anos sem falar comigo, sem mandar notícias, sem querer me ver mais…

Entretanto a vida das Irmãs me atraía cada vez mais. Queria continuar lá.

Numa visita da Madre Provincial das Irmãs Calvarianas, a Santa Casa, Madre Maria Helena da Cruz me fez o convite, para no ano seguinte, estudar e se preparar para ser “Freira”. Fiquei muito feliz com esse convite, aceitei e comecei a me preparar não só espiritualmente, mas materialmente também, organizando meu enxoval. Era uma alegria só, dizia: “agora sim tenho uma verdadeira famíla”! Deus sabe o que faz.

1949 – Entrei para o aspirantado, tendo como mestras: Ir. Maria da Glória, Ir. Cristina Maria e Ir. Zilah Ferreira de Souza. Como tinha parado de estudar, fiz o curso secundário, normal e clássico até 1956, em Campinas no Colégio Sagrado Coração de Jesus.

1957- Entrei para o postulantado- mestra Madre Suzana Maria, éramos doze postulantes.

 1958-1960- 1º e 2º ano de noviciado- mestra Madre Suzana Maria- São Paulo.

 1960- Fiquei morando nessa comunidade e lecionei para uma classe de 1º ano.

 1961- Mudei para Campinas e iniciei a Faculdade de Pedagogia na Puc-Campinas.

 1967- Votos perpétuos em Campinas onde fiquei morando por mais dois anos. Lecionei no Colégio Coração de Jesus das Irmãs Calvarianas.

1969- Fui transferida para o Rio Grande do Sul, em Seberi, quando fundou a Escola Normal Madre Thereza. Permaneci ai até o final de 1970.

1971- Junto com o grupo da Madre Terezinha (27), fomos nos juntando no Colégio N. Sra do Calvário em Catanduva(sem votos). Em Junho(29) emiti os votos na Congregação N. Senhora da Ressurreição em Catanduva, sob a presidência do Bispo Dom José de Aquino Pereira e Pe. Joaquim Ferreira Xavier Júnior; nosso fundador e nas mãos de Madre Terezinha Freiria, fundadora.

1972- 1984- Morei em Catanduva onde exerci várias funções: catequista, professora, diretora, no Colégio N. Sra do Calvário, na Fafica; nas cidades vizinhas dei curso de Teologia para leigos, de liturgia, de psicologia catequética, etc.

1984- Fui morar na comunidade de Rio Preto a pedido de Dom José de Aquino, para organizar a biblioteca do Seminário Diocesano, onde lecionei Pedagogia e Didática.

1985- Atendendo o pedido de Dom Demétrio Valentini que nos visitara, me ofereci para formar uma comunidade na diocese de Jales- SP, em Populina.

Celebrei minhas bodas de prata de Profissão Religiosa- 25 de janeiro.

Iniciei com mais duas irmãs a primeira comunidade inserida no meio popular, permanecendo ai por 8 anos. Exerci em Populina a coordenação da Comunidade Paroquial, sem padre, celebrando a Liturgia da Palavra, fazendo batizados, casamentos,formação de cursos para noivos, para catequistas, para batismo, preparando leigos para diversas funções.

Há um álbum com fotos da fundação e das obras iniciadas nessa comunidade de São João Batista de Populina.

Organizei as diversas áreas de Pastoral, preparando leigos para a sua coordenação e serviços. Formei o grupo de jovens que foi o meu braço direito na condução da Igreja de Populina. Organizavam, com os casais, as Liturgias, as procissões, as festas do padroeiro, as quermesses e outras atividades da comunidade.

Ir. Lourdes que foi morar comigo, Ir. Catarina e Ir. Cidinha, organizaram um ateliê de costura, tendo ensinado a muitas alunas o corte e costura.

Ir. Cidinha cuidou da Pastoral da Criança,organizando as mães, pesando as crianças e realizando a celebração da vida, todo mês, com atendimento diário aquelas crianças desnutridas e pobres, usando a multi-mistura.

 1987- Trabalho junto a um grupo de famílias “sem terra”, que ocuparam uma gleba devoluta do governo. Ajudei no assentamento, fornecendo-lhes roupa e alimento no inicio, e formação religiosa. Fiz um projeto e consegui 25.000 marcos da Alemanha para montar uma beneficiadora de arroz. Os homens trabalhavam na terra plantando arroz, milho, etc, e as mulheres tocavam a máquina, beneficiando o arroz, ensacando e comercializando.

1987-1988- Novo projeto para adquirir uma Kombi para os trabalhos pastorais na zona rural e comunidades distantes. Essa verba veio da “Miva”- católicos da Holanda- em fevereiro de 1987.

1988- Fiz outro projeto para construir a sede de Educação Popular e Catequese. O prédio serviria para aulas de alfabetização, datilografia, catequese, curso de noivos, de batismos e outros encontros.

Recebi essa verba do “Adveniat” – católicos da Alemanha- que serviu para a construção e montagem de todas as salas, inclusive de uma cozinha completa.

 1988- Junto a AEC- Associação de Educação Católica de São Paulo, através de um pequeno projeto, consegui uma verba para matéria pedagógico-catequético; aparelho projetor de slides; jogos de slides; material de consumo, etc para alfabetização de adultos.

1992- Madre Teresinha e seu conselho resolveu fechar a casa de Populina, por falta de Irmãs para formar comunidade, com a promessa de montá-la na sede da Diocese de Jales. Fiquei mais um ano morando na residência do Bispo, esperando a casa que foi organizada com três irmãs em 1993.

 1993- Fundação de uma comunidade na Paróquia N. Sra Aparecida, na Cohab Arapuá. Depois o trabalho pastoral foi estendido para a Cohab JACB.

Na Capela da Cohab Arapuá exerci a função de coordenadora e ministras de alguns sacramentos. Todos os trabalhos pastorais foram iniciados ai, bem como no JACB, com a Irmã Kazumi, com a qual morei mais 5 anos e Irmã Nice. Ao todo foram 13 anos de trabalhos pastorais na Diocese de Jales. Gostei muito. Aprendi bastante. Ai coordenei a Pastoral da Educação, Pastoral Vocacional, o Núcleo da C.R.B. vários anos, a Equipe Missionária e a Equipe de Subsídios, a nível Diocesano, fazendo parte também do Colegiado.

1997- Organizei com as professoras da Pastoral da Educação uma viagem à Europa, começando pelo Egito, Israel quase todo, principalmente na Terra Santa, nos lugares onde Jesus viveu e realizou sua missão. Depois fomos para a Itália, conhecendo-a de norte a sul, principalmente ficando em Roma 6 dias, tendo tido uma audiência com o Papa João Paulo II. Visitei Pádua, Assis, Cássia, Milão, Verona, Sena, Piza, Condado de San Marino, Firenze(Florença), Veneza, Bolonha, Nápoles, Pompéia(ruínas), etc.

1998- Fui transferida para Assis-SP, onde a Congregação estava assumindo o Colégio Santa Maria. Ai trabalhei na Pastoral Diocesana, no COMID, Pastoral da Educação e Vocacional, coordenei o núcleo da C.R.B. de Assis por vários anos. Dei psicologia no curso propedêutico do Seminário Diocesano; colaborei na formação das aspirantes ministrando aulas de Bíblia, Doutrina e História da Igreja, serviços caseiros e outras tarefas.

1999- Participei do 1º Congresso Missionário Americano(CAM-1) em Paraná- Argentina- e COMLA-6- representando, com outros missionários, a Diocese de Assis. Morei 6 anos em Assis.

2004- Fui transferida para o Rio de Janeiro, onde permaneci todo esse ano. Exerci várias funções ai, como: coordenação do Ensino Religioso do Ensino Fundamental e Médio, formação dos funcionários com círculos bíblicos e outros encontros. Participei da Pastoral Vocacional da região(Jacarepaguá) realizando encontros, fiz palestras diversas para pais, professores, grupos de casais(E.N.S.), fiz trabalhos caseiros de todo tipo. Na comunidade realizava reuniões semanais, de acordo com a C.R.B.- R J.

2005- Transferida para Catanduva, ajudo até hoje na formação de noviças e postulantes, ministrando aulas de Bíblia, História da Igreja e Doutrina. Sou “dona de casa”. Faço parte da coordenação Diocesana de Pastoral do COMIDI- Conselho Missionário Diocesano e da Pastoral da Educação. Ajudo na formação de líderes para a rede de comunidades. Sou conselheira espiritual de duas E.N.S., coordeno o núcleo da C.R.B.- Conferência dos Religiosos do Brasil, em Catanduva-S.P.

2008- Quero deixar aqui registrada a minha imensa gratidão a Deus que me escolheu, me tomou pela mão, me preservou de tantos males e me fez religiosa consagrada do seu serviço e expansão do Reino de Deus.

Agradecimentos a Irmã Angélica Maria(de N. Sra do Calvário) que me despertou para a vocação religiosa, bem como a Congregação do Calvário que me proporcionou formação e capacitação para todos os serviços que realizo hoje.

Agradecimento a Congregação das Irmãs da Ressurreição onde dei continuidade a minha realização como pessoa e como consagrada. Na pessoa de Madre Maria Teresinha- nossa fundadora e do Pe. Xavier- fundador, quero agradecer de coração as imensas graças que recebi de Deus por intermédio deles. Deus os abençoe.

As minhas Irmãs todas de caminhada, peço as bênçãos de Deus por me ajudarem a caminhar e por partilharem a vida comigo.

As aspirantes, noviças e postulantes, o meu “Deus lhe pague”, por me ajudarem a crescer e também partilharem a vida comigo.

A Ssma Trindade entrego minha vida para sempre!

Related Works

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + um =